top of page

Companheiras que contribuíram com o início da luta do Miqcb foram homenageadas durante reunião de coordenação do Movimento


Entre os dias 23 a 26 de abril, o Movimento Interestadual as Quebradeiras de Coco Babaçu – MIQCB realizou reunião da coordenação geral, onde participaram as coordenadoras de base, as coordenadoras executivas, coordenação geral e equipe técnica do Movimento das seis Regionais (Pará, Tocantins, Piauí, Imperatriz-MA, Mearim/Cocais-MA e Baixada Maranhense). A atividade foi realizada no Centro de Oração-OASIS, em São Luís-MA. A ação faz parte do cronograma de atividades do Miqcb e tem como objetivo alinhar as ações de atuação do Movimento nos quatro estados.


Um dos destaques da reunião foi a homenagem para as quebradeiras que ajudaram na fundação do Miqcb.

A programação incluiu debates sobre “Formas de garantia dos territórios de quebradeiras de coco babaçu”, com trabalhos em grupo; participação e incidências políticas no Seminário Nacional dos Povos e Comunidades Tradicionais; XI Encontro Internacional do Fórum Social Pan-Amazônico-FOSPA; participações na Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP30); diálogo sobre as situações dos projetos e doadores do Miqcb; situações dos projetos apoiados pelo Fundo Babaçu e as ações do Centro de Formação das Quebradeiras de Coco Babaçu e outras ações que estão dentro das pautas de atuação do Movimento.


A coordenadora geral do Miqcb, Maria Alaídes explicou que reunião como essa faz parte das atividades do Movimento e é de suma importância para o alinhamento e bom funcionamento das ações desenvolvidas pelo Miqcb.


“Este momento é importante porque dialogamos sobre as principais demandas das quebradeiras das seis Regionais onde o Miqcb atua. Dessa forma, juntas, buscamos atingir o objetivo do Movimento que é garantir o direito ao território e o livre acesso aos babaçuais, promovendo a conservação da sociobiodiversidade existente nas florestas de babaçuais e a melhoria da qualidade de vida de todos os povos e comunidades tradicionais”, destacou.


No primeiro dia as quebradeiras tiveram a contribuição das pesquisadoras e professoras, Noemi Porro e Josilene Mendes, do professor Ricardo Folhes e da promotora e professora, Eliane Moreira, que trataram sobre as temáticas dos Territórios, conflitos agrários, regularização, atuação política e direitos das quebradeiras e outras temáticas.



Homenagem- Na quarta-feira (24), 16 mulheres quebradeiras de coco, que são chamadas carinhosamente de “troncos”, receberam uma singela homenagem do MIQCB. As mulheres foram reconhecidas pelas grandes contribuições na luta das quebradeiras de coco e na criação do Movimento. As quebradeiras Maria Querobina, Antônia Brito, Francisca Lera e Irenir Alves falaram sobre o processo de luta, identidade das quebradeiras e o início do Movimento MIQCB.


“É uma satisfação grande quando a gente sente que aquela ideia virou tronco e o tronco virou raiz, e essa raiz é de sustentabilidade.  Estou muito contente de encontrar muitas companheiras que estão desde o início na luta”, declarou Querobina.


Muitas pessoas contribuíram com os primeiros passos dos Movimento. A quebradeira Chica Lera, da Regional Piauí relembrou algumas lutas por direitos das quebradeiras e se emocionou ao encontrar algumas companheiras.


“Estamos aqui para passar o que aprendemos. Foi sofrido, foi. Mas estamos aqui, e estamos dispostas a apoiar as nossas companheiras que estão na luta e que estão fazendo um lindo trabalho”, declarou Chica Lera.




16 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page