top of page

Miqcb dialoga e entrega documentos com demandas das quebradeiras de coco babaçu para SAF-MA


Na tarde desta quinta-feira, 04, as coordenadoras executivas do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu- MIQCB, Maria Alaídes, Helena Gomes, Eunice da Conceição e Maria Antônia reuniram-se com o secretário de Estado da Agricultura Familiar do Maranhão, Bira do Pindaré para dialogar sobre pautas que viabilizam qualidade de vida para as comunidades.


Participaram do diálogo representantes da Associação em Área de Assentamento no Estado do Maranhão- Assema, Cooperativa dos Pequenos Produtores Agroextrativistas de Lago do Junco– COPPALJ e Cooperativa dos Pequenos Produtores Agroextrativistas de Esperantinópolis – COOPAESP.



Os principais temas dialogados foram: Regularização fundiária dos territórios, acesso das quebradeiras de coco babaçu com a criação de reservas extrativistas –RESEX ou de assentamentos agroextrativista; organização e comercialização da produção com a manutenção e o aumento de recurso para o Programa de Compras da Agricultura Familiar – Procaf Babaçu; acesso ao Programa de Aquisição de Alimentos-PAA, entrega de equipamentos para implantação de quintais produtivos ou agroquintais.


A pauta incluiu ainda destinação de cisternas de captação de água das chuvas; construção, reforma, adequação, aquisição de equipamentos para agroindústria de beneficiamento do babaçu; apoio para a loja de vendas da Cooperativa Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu-CIMQCB; retomada da realização do Cadastro Ambiental Rural coletivo de povos e comunidades tradicionais e da agricultura familiar do Maranhão; assistência técnica continuada no uso do solo, agroecologia, rotação de culturas.



A coordenadora geral do Miqcb, Maria Alaídes destacou que no Maranhão, o Movimento atua nas regiões Tocantina, Médio Mearim, Cocais e Baixada, desenvolvendo diversas ações que envolvem permanência nos territórios tradicionalmente ocupados, livre acesso aos babaçuais para uso em regime de economia familiar, produção de alimentos saudáveis, beneficiamento do babaçu produzindo diversos subprodutos, organização e comercialização, defesa da floresta de babaçu e do meio ambiente como um todo buscando construir o bem viver.


“Nós mulheres quebradeiras de coco babaçu somos comunidades tradicionais, guardiãs das florestas de babaçu, na nossa história aprendemos a conviver com a natureza preservando-a e tirando dela o que precisamos para manter nosso modo de vida. Por isso, estamos hoje dialogando com o secretário da SAF para apresentar nossas reivindicações, que tem como proposito levar às comunidades qualidade de vida”, declarou, Alaídes.



O secretário Bira do Pindaré, pontuou a pauta do Miqcb chegou em boa hora. “Desde o início da minha gestão estamos dialogando com vários movimentos sociais para conhecer as suas necessidades e priorizar nas nossas ações. O que foi apresentado aqui está no horizonte do nosso trabalho. Seja unidade de produção, CAR, ampliação de agroindústria, casa de Farinha, energia solar, kit de irrigação. O Miqcb não ficará de fora das ações da SAF”, declarou o Secretário.


A COPPALJ, Assema, Coopaesp também apresentaram suas demandas que dialogam com a preservação do meio ambiente, apoio as famílias que vivem do extrativismo, defesa dos babaçuais e o bem viver nos territórios.



Participaram da atividade as assessoras do Miqcb, Flávia Azeredo, Renata Cordeiro e Luciene Dias Figueiredo.



26 visualizações0 comentário
bottom of page