top of page

Miqcb realiza segundo Módulo para alunas do Centro de Formação


Quebradeiras de coco babaçu dos estados do Pará, Piauí, Maranhão e Tocantins, que fazem parte do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB), participaram do segundo Módulo do curso “Quebrando saberes, elaborando projetos socioambientais e preservando a floresta de babaçu”. As atividades foram realizadas entre os dias 16 a 21 de outubro, no Centro de Formação das Quebradeiras de Coco Babaçu, localizado em São Luís-MA.


O tema do segundo módulo foi: “Gestão de Projetos Socioambientais, Auto-Organização e Protagonismo das Mulheres, Movimentos Sociais e Miqcb” e terá certificação do Instituto Federal do Maranhão-IFMA. O conteúdo programático incluiu as temáticas: Gestão em Projetos Socioambientais; Auto-organização e Protagonismo da Mulher na organização comunitária; Histórico dos Movimentos Sociais e do MIQCB; Colonialismo e Capitalismo no Campo.



“Desde a primeira turma, que teve início com o lançamento do Centro de Formação, em maio deste ano, percebemos que nossa luta e nosso sonho de fato tornou-se realidade. Ao longo desses meses contamos com várias parcerias e apoios, como é o caso do IFMA que fará a certificação do nosso curso”, declarou Maria Alaídes, coordenadora geral do MIQCB.


Durante a execução das aulas, estudantes da Licenciatura em Artes Visuais, do IFMA Campus Centro Histórico participaram das atividades, pois os mesmos fazem parte do projeto de extensão que apoia o Curso do Centro de Formação. As aulas contaram com acessibilidade para pessoas surdas, por meio de contribuições da professora tradutora e interprete de libras e de alunos que dominam a língua brasileira de sinais (Libras). Além disso, o IFMA fará a certificação dessa primeira turma, do primeiro ao terceiro módulo



"A parceria do IFMA e MIQCB foi firmada por meio da aprovação de um projeto de extensão 'Educação do Campo: quebrando saberes, elaborando projetos socioambientais e preservando a floresta de babaçu'. Essa primeira turma, que tem na sua grade curricular três módulos, receberá a certificação pelo IFMA. Ou seja, todo o curso dessa primeira turma será certificada pelo IFMA. Então, esta parceria amplia a atuação do Campus junto aos movimentos sociais e reforça nosso compromisso com a oferta de educação pública como direito de todas e todos”, declarou a professora Michelle Teixeira, coordenadora pedagógica do IFMA.


Na sexta-feira (20), alunas do Centro de Formação receberam visitantes ilustres: Arthur Azevedo, Maria Firmina e a baronesa de Grajaú, Ana Rosa Lamaner, interpretados pelos alunos do IFMA, Campus Centro Histórico de São Luís, Carlos Gabriel, Fernanda Gomes e Geyssa Valeska, respectivamente. A apresentação foi realizada pelo grupo Conexão História, um grupo composto por alunos que interpretam 11 personagens marcantes da história do Maranhão. Por meio da atuação, o grupo Conexão História visa sensibilizar com arte, alegria e emoção.



As alunas também tiveram a oportunidade de visitar o Museu Cafua das Mercês (Museu do Negro), sendo recepcionadas pelo coordenador Biné e as monitoras, que deram uma verdadeira aula sobre o espaço e o acervo existente. O Museu Cafua tem como objetivo principal divulgar a história e memória da escravidão e da cultura afro brasileiro maranhense, contribuindo para reconhecimento da nossa diversidade cultural e valorização da matriz cultural africana.


O Centro de Formação- é uma iniciativa do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu-MIQCB, por meio do Projeto Floresta de Babaçu em Pé e conta com financiado pelo Fundo Amazônia e gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).


O curso terá carga horária total de 300 horas/aula de formação, compreendendo três dimensões do processo formativo da pedagogia da alternância: tempo escolar, tempo comunidade e intercâmbios. Ou seja, serão 180 horas aulas presenciais em São Luís, 96 horas na comunidade e 24 horas de intercâmbio nas regionais do Movimento.



Raimunda Nonata de Oliveira, quebradeira de coco da Regional Imperatriz-MA, fala da importância do Centro de Formação para as quebradeiras. “O Centro de Formação é um privilégio para nós quebradeiras porque é um espaço onde aprendemos e compartilhamos nossas experiências”, declarou.


Dona Maria de Sousa, município de Itupiranga da Regional Pará também pontuouo a importância do Centro de Formação. “Aqui é um espaço muito importante para mim porque capacita a gente. Aprendemos várias coisas como a elaboração de projetos, empoderamento feminino, machismo, aprendemos sobre nossos direitos e muito mais”, frisou.


As aulas do segundo módulo foram ministradas pelos seguintes educadores: Profa. Msc. Symone Maria Falcão, Profa. Msc. Lara Ramos, Profa. Msc. Carol Magalhães, Profa. Msc Ariana da Silva, Profa. Dra. Viviane Barbosa, Prof. Dr. Sávio Rodrigues e pelas colaboradoras do MIQCB, Anny Linhares e Ana Maria Ferreira.




29 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page