Buscar
  • Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu

No Maranhão, o Dia da Quebradeira foi celebrado em frente ao Palácio dos Leões

O Governo do Maranhão realizou, neste sábado (25), em frente ao Palácio dos Leões, uma feira em comemoração ao Dia Estadual das Quebradeiras de Coco Babaçu. O evento, com atividades culturais e comércio de produtos das palmeiras, contou com a presença do governador Flavio Dino, do secretário Rodrigo Lago (Agricultura Familiar), e da cozinheira Paola Carosella, que esteve em São Luís para participar de inauguração do IEMA Gastronomia.



O Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu, também esteve presente junto a CIMQCB com representações de diferentes regionais, contemplando a feira com a degustação e venda de produtos feitos do babaçu, como o mesocarpo, o azeite de coco babaçu, biscoitos, entre outros. "Neste dia nós sempre trazemos as nossas referências de ser de viver, de território, de luta e por esse motivo nós estamos aqui representando a vida. E essa vida vocês vão encontrar aqui nessa diversidade de povos e comunidades tradicionais. Mulheres quebradeiras, indígenas, quilombolas que estão aqui com seus produtos oriundos da biodiversidade. Nós estamos aqui na grande São Luis, colocando aquilo que vem do campo, e isso representa nossa luta, representa nossa história", vibra Maria Alaídes, coordenadora geral do MIQCB, em discurso no palco.


Maria Alaídes canta "Xote das Quebradeiras"


“Promovemos aqui a política pública de apoio à agroecologia, à sócio-biodiversidade, especialmente naquilo que se refere às quebradeiras de coco. Nós temos uma linha de trabalho permanente de apoio a produção familiar, com assistência técnica, com a busca de regularização das terras e também com programa de compra. Nós compramos a produção exatamente para estimular aqueles que se dedicam a essa atividade. E esse dia estadual tem essa marca que nós estamos encerrando o ciclo com o edital que comprou produtos das quebradeiras de coco, garantindo renda, estimulando essa atividade e iniciando outros ciclos, na medida que hoje anunciei um outro edital especial agora, nesse finalzinho de ano, para exatamente estimular ainda mais a produção”, disse o governador Flávio Dino.


Convidada pelo governo do estado para inauguração do IEMA de gastronomia, a chef Paola Carosella também demonstrou emoção ao encontrar a força e luta das mulheres extrativistas. "Acabei de me nacionalizar brasileira e o que eu mais amo nesse país são as pessoas. Obviamente a cultura e a riqueza da terra, e as mulheres. As mulheres da terra", se emociona Paolla.



“É um dia de festa, trouxemos quebradeiras de coco de todo o estado para celebrar este dia. Nós temos vários investimentos nessa área e não vamos parar. Viva as quebradeiras de coco do Maranhão”, celebrou Lago.


Tradição e ancestralidade fazem parte do bem viver das mulheres quebradeiras de coco


O governo maranhense, por meio do Sistema da Agricultura Familiar (SAF), vem investindo recursos em projetos que fortalecem a cadeia agroextrativista do babaçu no Maranhão. São investimentos que incluem desde a organização produtiva, beneficiamento da produção, até a comercialização dos produtos, todos extraídos do coco babaçu.



Campanha Babaçu Livre


O Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB), representado por secretarias regionais nos estados do Maranhão, Pará, Piauí e Tocantins, lançou a campanha “Babaçu Livre: Vida, Território e Luta”, que tem como objetivo impulsionar a valorização dos modos de vida das quebradeiras, o livre acesso aos babaçuais e o direito de viver em territórios livres, além da aprovação de novas leis do babaçu livre, o fortalecimento e a fiscalização de leis já existentes. A campanha tem apoio do Instituto Clima e Sociedade, por meio do projeto Mulheres Quebradeiras de Coco Babaçu Preservando as Florestas, além dos parceiros Fundação Ford, ActionAid e ASW. O lançamento da campanha “Babaçu Livre: Vida, Território e Luta” aconteceu durante live no dia 24 de setembro (sexta-feira), Dia Estadual da Quebradeira de Coco Babaçu, com transmissão ao vivo pelo canal do MIQCB no YouTube.


Ao longo dos 30 anos de história do movimento, as campanhas “Babaçu Livre” estimularam o debate entre as quebradeiras de coco, a criação e aprovação de leis que garantem o livre acesso aos babaçuais, bem como a proibição de envenenamento das palmeiras, das queimadas e das derrubadas de babaçuais, o corte dos cachos, as queimas do coco por completo e qualquer outro tipo de ação que venha prejudicar o desenvolvimento do babaçu. As quebradeiras de coco são mulheres de múltiplas identidades, como quilombolas, ribeirinhas, indígenas e agricultoras, pluralidade que reforça a luta pelo babaçu livre e pelo acesso à terra e ao território.


“Cada uma de nós entende essas leis como um instrumento estratégico de luta. É uma campanha do dia-a-dia, em que nós compreendemos que não existe babaçu livre sem território livre, a partir de um reconhecimento que está dentro dele. O babaçu é nossa vida e nossa essência”, declara Maria Alaídes Alves, atual coordenadora-geral do MIQCB. Atualmente existem 22 leis aprovadas no âmbito estadual e municipal nas regiões de atuação do movimento.


Assista aqui:



Fonte: agência de notícias GovMA e Ascom MIQCB

27 visualizações0 comentário