Quebradeiras de coco babaçu são contempladas com 20 agroquintais


A agricultura familiar também é uma atividade executada pelas mulheres quebradeiras de coco babaçu e seus familiares. Nesse sentido, o MIQCB com apoio financeiro do Instituto Clima e Sociedade – ICS beneficiou 20 famílias com kits para implementação de Sistemas Agroflorestais-SAF’s- Agroquintais. As famílias beneficiadas estão espalhadas em cinco regionais: Pará, Imperatriz, Tocantins, Mearim e Baixada.


O projeto “Mulheres Quebradeiras de Coco Babaçu Fortalecidas”, ICS tem o objetivo fortalecer as iniciativas das mulheres quebradeiras de coco Babaçu, assegurar seus direitos à terra, ao território, ao Babaçu livre, à preservação da floresta, ao uso sustentável dos recursos naturais e ao acesso aos mercados; incentivar as experiências de forma a permitir que estas sejam precursoras de uma atividade produtiva sustentável, com grande potencial para proporcionar segurança alimentar das famílias atendidas, bem como, aumentar a renda e consequentemente serem exemplos, junto às quebradeiras e demais pessoas das comunidades.



Com a execução do projeto foram adquiridos materiais para montar sistema de irrigação e outros equipamentos para melhorar o manejo das áreas, afim de fortalecer as práticas produtivas no SAFs - Sistema Agroflorestal através agroquintais, consorciados com as Palmeiras de Coco Babaçu.


No estado do Pará, a família de Cléia Oliveira foi beneficiada com o projeto dos agroquintais. A propriedade fica localizada na comunidade Canadá, município de São Domingos do Araguaia-PA. No entorno da residência da família são cultivadas hortas medicinais, hortaliças, feijão, melancia, banana, macaxeira, açaí, cupuaçu, café, cacau e diversas plantas frutíferas.



A beneficiária Cléia conta que antes do agroquintal, cuidar de toda a produção era um desafio, principalmente na hora de irrigar a produção. A área conta com a mão de obra dela e de seu esposo Javier Francisco.


“Antes a gente usava o regador manual para molhar as plantações. Com a chegada do projeto do agroquintais investimos em sistema de irrigação por aspersão e gotejamento. Depois dessa aquisição nós produzimos o ano inteiro. Estamos muito felizes”, declarou Cléia.



Na implantação dos agroquintais houveram reuniões de mobilização das famílias, capacitações, visitas técnicas com diagnósticos, orientações e recomendações sobre a execução do projeto, objetivando a promoção do desenvolvimento sustentável, preservação dos recursos naturais e fortalecimento das práticas agroecológicas.


A coordenadora de projetos, Sandra Regina Monteiro explicou que o projeto dos agroquintais foi construído durante a Pandemia Covid 19 e contou com a contribuição das as 24 coordenadoras regionais. Foram feitas reuniões online e o projeto foi elaborado a partir das demandas das quebradeiras de coco babaçu.



“Tivemos o cuidado de fazer ações que viessem fortalecer a produção agroecológica, autonomia das mulheres, bem como a preservação das palmeiras de babaçu. Além disso, dialogamos com representantes do poder público e da sociedade civil sobre o combate aos crimes ambientais: derrubadas, queimadas, uso de veneno e a aprovação da Lei Babaçu Livre”, concluiu.

7 visualizações0 comentário