MIQCB

Rua São Raimundo, quadra 42, casa nº 09.
Bairro Jardim Eldorado, São Luís - MA

(98) 3268-3357 | 3221-4163

CEP: 65067-272

Intranet

Siga-nos:
  • Facebook - White Circle

Troca de experiências entre jovens visa garantir a continuidade do modo de vida das quebradeiras de coco babaçu

14-Aug-2018

Em meio à descontração bem peculiar de um encontro de jovens foi colocada a preocupação com o futuro que envolve desde o mercado de trabalho, a permanência no território e a continuação do modo de vida tradicional de suas mães; a quebra do coco babaçu. Essas foram algumas das temáticas trabalhadas no Intercâmbio entre a Juventude do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu do Maranhão, Pará, Piauí e Tocantins. O encontro aconteceu no quilombo Olho D´Água dos Negros, na região dos Cocais (PI), de 08 a 10 de agosto.

 

Durante dois dias, o grupo de aproximadamente 50 jovens (17 aos 28 anos) conheceu as unidades de produção de Bolo da farinha de Mesocarpo de Tapuio e produção de azeite em Fortaleza. Participaram ainda de um bate-papo de como acessar os programas instit

 

 

 

ucionais de Aquisição de Alimentos (PAA) e o de Alimentação Escolar (PNAE). A experiência de como acessar os programas foi repassada por Aline Barros, da Secretaria de Desenvolvimento Rural. “Importante à inserção do jovem em um grupo de produção, pois, se estruturam politicamente, ganham forças e usufruem de um direito garantido por lei, o acesso aos programas do governo.

 

Os jovens que participaram do encontro integram unidades de produção a base do babaçu quer pelo artesanato, produção de bolo, azeite, farinha de mesocarpo entre outros produtos. Eles trocaram experiências  sobre a maneira de produzir, de publicizar os produtos, de comercializar a produção. A estudante e artesã Wucélia Carvalho de Lima, 22 anos, regional de Imperatriz, falou da experiência de produzir peças a partir do babaçu. “Encontramos uma oportunidade de trabalho sem precisar sair das nossas comunidades. Vamos crescer bastante ainda, o encontro vem fortalecer a nossa atividade”.

 

Para a estudante Ivanessa Lima, quilombola, jovem produtora da região do Médio Mearim no Maranhão e acadêmica de Agroecologia do IFMA, essencial para a juventude é compreender o seu papel. “Com os conhecimentos acadêmicos, buscamos melhorar a produção, mas é na família que encontramos o incentivo e o diferencial por meio do saber popular para continuarmos a viver da agricultura. É preciso que outros jovens juntem-se a nós”, enfatizou.

 

Novas atividades

 

No terceiro dia de atividades, os jovens participaram das mini-oficinas sobre Organização Política, Capacitação, Comunicação e Capacidade produtiva. O intercâmbio entre as conclusões de cada grupo indicou que o Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu deve desenvolver projetos ainda mais estruturantes que contemplem e capacitem a juventude do movimento para que possam continuar com a luta pelo território livre, o modo de vida das comunidades tradicionais, maior organização política, a conquista de novos mercados por meio das capacitações e que desenvolvam habilidades para a manutenção do movimento.

 

É o que vivencia a nova geração das quebradeiras de coco babaçu. As filhas das grandes lideranças atuantes no Pará, Maranhão, Tocantins e Piauí e que criaram o MIQCB e iniciaram as lutas pelos direitos das quebradeiras de coco babaçu ao território, a ter acesso aos babaçuais enfrentando todas as formas de violência, além da quebra do coco, encaram uma nova atividade. É o caso por exemplo das assessoras técnicas dos Movimentos como Rosalva Gomes, Elizete Araújo, Clenilde Bizerra, Ariana Muniz e tantas outras que hoje desempenham outras atividades dentro do Movimento. Além de terem uma atuação política, são responsáveis em desenvolver atividades como organização das capacitações, prestação de contas dos projetos financiados pelos parceiros do MIQCB, relatoria das atividades entre outras ações.

 

“É um Movimento grandioso de muita luta, resistência e conquistas. O encontro no Piauí trouxe um desejo muito forte da juventude em continuar com essa história, foi um marco, e devemos prosseguir nesta luta engajando cada vez mais os jovens”, enfatizou Rosalva Gomes, da regional de Imperatriz.

  

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Outras postagens

MIQCB coordena trabalhos de reconquista do território na Baixada Maran...

MIQCB lança abaixo assinado contra projeto de lei que incentiva a quei...

Comunidades, com o apoio do MIQCB, coordenam trabalhos de reconquista...

Pela vida das quebradeiras de coco - "Quebradeiras de coco babaçu...

1/3
Please reload