MIQCB

Rua São Raimundo, quadra 42, casa nº 09.
Bairro Jardim Eldorado, São Luís - MA

(98) 3268-3357 | 3221-4163

CEP: 65067-272

Intranet

Siga-nos:
  • Facebook - White Circle

MIQCB organiza junto com a UFPI debate sobre Povos e Comunidades Tradicionais em Teresina

29-Nov-2018

 

 

Os povos e comunidades tradicionais no país (PCT´S) somam aproximadamente cinco milhões de brasileiros, que ocupam um quarto do território nacional, de acordo com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Eles são considerados os guardiões da biodiversidade brasileira, uma vez que seus modos de vida se dão em equilíbrio com a preservação dos recursos naturais. Quais os desafios para a preservação desse povo, dos biomas onde vivem e como o saber popular e o conhecimento cientifico podem fortalecer a luta pela preservação dos milhares de quilombolas, indígenas, quebradeiras de coco babaçu, ribeirinhas entre outros povos tradicionais. O Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu, organizador do Seminário Nacional dos PCT´s, realizado no Maranhão em julho de 2018, participa também como organizador desta atividade.

 

É o que será debatido nos dias 29 e 30/11 na Roda dos Povos e Comunidades Tradicionais, que será realizado no Auditório Noé Mendes, no Centro de Ciências Humanas e Letras da Universidade Federal do Piauí. A finalidade é proporcionar o diálogo e a troca entre o conhecimento tradicional e o científico. Participarão desta atividade quebradeiras de coco babaçu, indígenas, quilombolas, Povos do Cerrado, Povos de Terreiro, oleiros, ribeirinhos, Profetas da Chuva, brejeiros, Tambor de crioula e capoeira. O evento tem a organização  do Laboratório do Projeto Nova Cartografia Social da Amazônia e o Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFPI, em parceria com o Movimento Interestadual das Quebradeira de Coco Babaçu - MIQCB.

 

Entre os objetivos do projeto estão o de promover o diálogo entre os artífices do conhecimento tradicional e científico; favorecer o desenvolvimento da ciência por meio da vivência com os povos e comunidades tradicionais; contribuir para o reconhecimento dos saberes tradicionais e o respeito aos seus detentores, promovendo a erradicação de todas as formas de preconceito, discriminação e intolerância e ajudar na criação e aprimoramento das ações e politicas públicas que promovam o reconhecimento e a inclusão das populações tradicionais.

 

Para Helena Gomes da Silva, coordenadora regional do MIQCB no Piauí, a atividade é oportuna pois serão apresentados também alguns encaminhamentos aprovados no Seminário Nacional de Povos e Comunidades Tradicionais, realizado no quilombo Monte Alegre, no Maranhão, em julho, que reuniu cerca de 200 pessoas. Apoiado pela União Europeia, Fundação Ford e ActionAid, todas organizações internacionais de combate à pobreza, o seminário levou à construção de uma Agenda em Comum para os PCT´s e da Carta de Monte de Alegre. Registros importantes que orientarão as ações do Conselho Nacional dos Povos e Comunidades Tradicionais, empossado em setembro de 2018 em Brasília. A sistematização da agenda em comum foi realizada a partir dos encaminhamentos dos quatro grupos temáticos por eixo debatidos durante o Seminário e que virão a tona nessa discussão: Acesso ao Território e aos recursos naturais, Infraestrutura, Infraestrutura e Inclusão Social e Fomento e Produção Sustentável.

 

Homenagem

 

Durante a programação será prestada uma homenagem póstuma a quebradeira de coco babaçu, líder quilombola e Conselheira do Conselho Nacional de Povos e Comunidades Tradicionais, dona Maria de Jesus Brigelo. Uma das grandes lideranças nacionais e internacionais em defesa pelo acesso livre ao território. Ela faleceu em setembro no Quilombo Monte Alegre, vítima de um infarto fulminante. Durante a  programação, além das rodas de conversa, grupos de discussões e momento de vivência. Haverá, ainda, uma feira com produtos confeccionados pelos povos e comunidades tradicionais.  

 

Sobre os Povos e Comunidades Tradicionais

 

De acordo com o Serviço Florestal Brasileiro, de 75% a 79% da área registrada por todas as comunidades do país está coberta de vegetação nativa, muito acima do requerido por lei. Os povos e comunidades tradicionais expressam a diversidade cultural e identitária que marcam a conformação da sociedade brasileira.

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Outras postagens

MIQCB coordena trabalhos de reconquista do território na Baixada Maran...

MIQCB lança abaixo assinado contra projeto de lei que incentiva a quei...

Comunidades, com o apoio do MIQCB, coordenam trabalhos de reconquista...

Pela vida das quebradeiras de coco - "Quebradeiras de coco babaçu...

1/3
Please reload