MIQCB

Rua São Raimundo, quadra 42, casa nº 09.
Bairro Jardim Eldorado, São Luís - MA

(98) 3268-3357 | 3221-4163

CEP: 65067-272

Intranet

Siga-nos:
  • Facebook - White Circle

MIQCB SOBRE A PANDEMIA DO CORONA VÍRUS (COVID-19)

23-Mar-2020

 

Em atenção às recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), Ministério da Saúde e dos governos estaduais, sobre as medidas de prevenção à transmissão de doenças causadas por vírus, como Covid 19 e H1N1; em atenção à saúde de cada mulher que constrói o Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco, suas famílias e comunidades; em atenção a nossa conduta ética com os grupos, articulações, territórios e comunidades que apoiamos, orientamos as assessorias e coordenações do MIQCB a estabelecer os seguintes cuidados e novas formas de trabalho.

 

O MIQCB atua em quatro regiões brasileiras, sendo elas: Tocantins, Maranhão, Pará e Piauí. Diante da escalada da pandemia, e da existência de alguns casos já confirmados, os governos dos respectivos estados publicaram decretos limitando o funcionamento de instituições públicas, suspendendo atividades escolares e culturais, transporte intermunicipais de passageiros, bem como limitação e/ ou paralisação ao funcionamento de comércios e serviços não essenciais, entre outras medidas de prevenção e contenção.

 

Além disso, o governo federal decretou todo território nacional como de transmissão comunitária. Isso significa que o sistema de saúde não consegue mais rastrear como as pessoas foram contaminadas. Logo, desde a segunda-feira (17) deliberamos que as reuniões em locais abertos ou fechados, atividades de campo, viagens e circulação nos escritórios das assessorias regionais e sede, estão SUSPENSAS até que se reavaliem as medidas necessárias para a seguridade de todas. Nossos diálogos entre assessorias, colaboradores e parceiros continuam de maneira remota, em nossas casas, utilizando nossos e-mails e telefones, e seguindo horários de fluxo comercial.

 

Devemos também suspender as atividades de vínculos solidários, evitando expor as crianças com quem trabalhamos a situações que tragam vulnerabilidade a suas saúdes; cuidar umas das outras e, sobretudo, de nossos idosos, gestantes, paridas, crianças e pessoas com deficiência, bem como se atentar as demais pessoas que se encontram com a saúde fragilizada e no grupo de risco. Eles precisam de nosso apoio.

 

Sabemos que o dia a dia da quebradeira de coco, envolve sua relação com a terra, com a agricultura, com um modo de produzir e forma política que envolve toda a comunidade, além das relações de compadrio e vizinhança. Entretanto, nesse momento é necessário nos articularmos para exercer o distanciamento social, a fim de evitar a proliferação do vírus, direcionando nossas práticas comunitárias a pensar soluções coletivas de proteção à saúde de nossos territórios.

 

 Devemos intensificar nossas medidas de higiene como lavar as mãos, conforme orientado pela OMS, evitar tocar bocas e olhos, utilizar o cotovelo ao cobrir tosse ou espirro, não compartilhar objetos pessoais e utilizar o álcool em gel 70%, quando não estivermos com acesso direto à água e sabão. É preciso também estar atento à outras enfermidades e buscar os postos de saúde para vacinação contra H1N1. Diante de sintomas leves como tosse, mal-estar e febre moderada, é aconselhado ficar em suas residências. Mas caso apareça tosse persistente, falta de ar, febre alta e dor no peito, procure imediatamente a unidade de saúde mais próxima.  

 

Também podemos mobilizar os conhecimentos tradicionais sobre saúde e boas práticas que fortaleçam o sistema imunológico, bem como promover a alimentação saudável que vem da floresta do babaçu e nossos quintais. Importante lembrar que neste momento de recolhimento, nossas mulheres tendem a ficar sobrecarregadas com os serviços domésticos. Enfatizamos que o cuidado com a casa e nossos familiares é de responsabilidade de todos.

 

Tais medidas têm como intuito reduzir a contaminação e assim evitar que mais pessoas sejam atingidas, principalmente àquelas que se encontram a margem das políticas públicas e do acesso a medidas de cuidado e contenção. Na contramão do mundo, as atitudes negacionistas e de desinformação do presidente da República sobre a gravidade da pandemia no país e suas medidas econômicas propostas, tem colocado ainda mais em risco nossa população.

 

Coletividade é o que norteia nosso bem viver, nossa política, nossos territórios, vida e luta. Lembramos mais uma vez que o MIQCB tem como responsabilidade, o cuidado com as mulheres que formam o movimento, as comunidades onde elas estão inseridas, suas famílias, bem como prezar pelos grupos mais vulneráveis. Em toda história do movimento, sempre tivemos como prática o cuidado e sensibilidade uma com as outras, em todas as adversidades que apareceram. Assim continuaremos. Seguiremos lutando.

 

Queremos florestas em pé, território livre, acesso à água e saúde! Juntos venceremos a pandemia!

 

Maria Alaídes Sousa

Coordenadora Geral do MQCB

 

Núcleo Técnico de Coordenação do MIQCB.

 

São Luís, 23 de março de 2020

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Outras postagens

MIQCB coordena trabalhos de reconquista do território na Baixada Maran...

MIQCB lança abaixo assinado contra projeto de lei que incentiva a quei...

Comunidades, com o apoio do MIQCB, coordenam trabalhos de reconquista...

Pela vida das quebradeiras de coco - "Quebradeiras de coco babaçu...

1/3
Please reload