top of page

Quebradeiras de coco babaçu participam do IX Encontrinho da Regional Mearim/ Cocais do MIQCB


Foi com muita alegria e animação que centenas de mulheres quebradeiras de coco babaçu da Regional Mearim/Cocais reuniram-se na sede Associação Comunitária dos Trabalhadores no Beneficiamento do Babaçu de Cocó (ACTBB) para participarem do IX Encontrinho das quebradeiras de coco babaçu. O evento foi realizado neste sábado (17) e domingo (18).


Com o tema “Quebradeiras de Coco Rompendo Barreiras”, mulheres dos municípios de Lago do Junco, Esperantinópolis, Pedreiras, Poção de Pedras, Bernardo do Mearim, Joselândia, São José dos Basílios, São João Gonzaga, Timbiras, Coroatá, Codó, Lima Campos, Igarapé Grande e Trizidela do Vale, debateram sobre agroecologia, sustentabilidade, organização e lutas das mulheres nos territórios, Lei do Babaçu Livre, segurança alimentar e fome, titulação de terras tradicionais, racismo ambiental, justiça ambiental e climática, Economia Solidária e organização produtiva das quebradeiras.



A coordenadora do MIQCB da Regional Mearim/Cocais, Maria de Fátima disse que a Regional realizou uma grande mobilização para reunir as quebradeiras e o objetivo foi alcançado.


“Estou muito feliz em receber as companheiras de 14 municípios da regional para participar do nosso Encontrinho. Estamos todas juntas com uma só luta e um só objetivo que é melhorar a qualidade de vida de cada quebradeira, de melhorar a renda de cada família. Isso só é possível se a gente organizar essas mulheres e é para isso que estamos aqui nesses dois dias. Estou muito feliz”, declarou dona Fátima.



O Encontrinho é uma realização do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB) e tem como objetivo dialogar com as quebradeiras, que são acompanhadas pelo Movimento, sobre as principais problemáticas que afetam os modos de vida das mulheres e, juntas, buscarem alternativas para que seus direitos sejam respeitados.

Durante o evento houve a eleição da coordenação Regional para os próximos quatro anos. Foram reeleitas Maria de Fátima (executiva), Maria de Jesus e Maria Alaídes. A senhora Áurea Maria da Silva, presidente da ACTBB, integrou a equipe no lugar da coordenadora Francisca Maria, esta ultima ficará no cargo até julho de 2023.



O Miqcb está presente nos estados do Maranhão, Pará, Piauí e Tocantins e tem como missão organizar as quebradeiras de coco babaçu para que conheçam seus direitos, a fim de promover a autonomia política e econômica em defesa das palmeiras de babaçu, dos territórios, do meio ambiente e da luta pela melhoria de suas condições de vida e de suas famílias, com base no bem viver.


Outro ponto bastante dialogado pelas mulheres foi o acesso aos programas públicos de comercialização, com destaque para Política de Garantia de Preços Mínimos para os Produtos da Sociobiodiversidade (PGPM-Bio). A política é executada pela Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) e tem como principal objetivo a garantia de renda ao agricultor familiar extrativista mediante a concessão de subsídio para vendas abaixo do preço mínimo. Ou seja, Toda vez que o extrativista vender seu produto por um preço abaixo do preço mínimo, a Conab paga essa diferença.



“É um prazer muito grande está recebendo nossas companheiras de vários municípios para falar sobre várias pautas, principalmente a pauta dos mercados institucionais, a exemplo do programa de Preço Mínimo do Babaçu, o PGPM-Bio. É um programa muito bom porque a gente deixa de vender para o atravessador, que cobra R$ 3 reais o quilo do coco, para vender para governo no valor de mais de R$ 4 reais. Isso melhora e valoriza nosso trabalho”, pontuou, Área Maria, presidente da Associação das Quebradeiras de Coco do município de Codó.


Pesquisadores contribuíram com a atividade das quebradeiras, a exemplo do professor doutor Joaquim Shiraishi Neto, advogado e pesquisador da Universidade Federal do Maranhão/UFMA, a professora da UEMA Rosirene Martins Lima, doutora em Meio Ambiente e Sociedade, a professora da UFMA Maria Mary Ferreira, doutora em Sociologia. Também colaborou com as aprendizagens a engenheira florestal Ana Paula Dias Costa, doutora em ciências florestais na Universidade Federal Rural da Amazônia/UFRA, em Belém, estado do Pará.



Participaram das atividades as coordenadoras do Miqcb da Regional Tocantins, Ednalva Ribeiro, da Regional Imperatriz, Eunice da Conceição, da Regional da Baixada Maranhense, Maria Raimunda, as assessoras Edsonete Moura (Regional Mearim/Cocais) e Sandra Regina (projetos).


Também participaram inda das atividades representantes da Aconeruq, ASSEMA, AMTQC, AMTR, ACESA, UEMA, UFMA, IFMA e Secretarias municipais de saúde, agricultura familiar, de educação do município de Codó.





63 visualizações0 comentário
bottom of page