top of page

Quebradeiras de coco babaçu são homenageadas no enredo de escola de samba, em São Paulo

Atualizado: 5 de fev.


"Perola no Encanto dos Balaios das Quebradeiras", este é o samba enredo que vai sacudir o sambódromo do Anhembi, em São Paulo, no dia 11 de fevereiro. Assinado pelo santista Neon Danuta e desenvolvido pelo carnavalesco André Martins, o Samba enredo da escola de samba Pérola Negra vai homenagem as quebradeiras de coco babaçu do Maranhão, Pará, Tocantins e Piauí. Pérola Negra será a quarta escola a desfilar, no domingo, pelo Grupo de Acesso 1.


A inspiração para o enredo, veio de uma matéria sobre as quebradeiras de coco babaçu do Maranhão, que foi produzida pela jornalista Helen Martins, do programa Globo Rural.


“Quando vi a matéria fiquei encantado com a história de luta e resistência das quebradeiras. Em contato com o Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB) recebemos um pedido muito especial: fazermos um carnaval muito alegre. As quebradeiras são mulheres que tem orgulho do seu modo de vida, de ser quebradeiras de coco babaçu”, pontuou Neon.



Quem assina a canção são os compositores Liso, Rogerinho Tavares, André Ricardo, Professor Oderlan, Professor PH, Chacal do Sax, Myngau.


"Estamos muito contentes de ter nossa história contada para milhões de pessoas através da escola de samba. Esperamos que através da visibilidade que teremos no carnaval de São Paulo, as nossas lutas possam ganhar força. Queremos a preservação e proteção dos babaçuais, precisamos de livre acesso ao babaçu, políticas de incentivo a comercialização dos produtos do babaçu e políticas de regularização fundiária de territórios coletivos de quebradeiras de coco babaçu, além da preservação do nosso modo tradicional de vida”, declarou Maria Alaídes Alves, coordenadora geral do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu-MIQCB.


 LETRA DO SAMBA:


PÉROLA NEGRA 2024 - SAMBA OFICIAL

Compositores: Liso, Rogerinho Tavares, André Ricardo, Professor Oderlan, Professor PH, Chacal do Sax, Myngau

 

Agô, meu pai, agô

Ao povo da mata, proteção

Na vida em busca do sustento, “muié”

A cantoria dá o tom

A preta e a índia iniciaram

Essa tal de catação

É fé que nunca “faia”

Coragem na batalha

Axé no coração

 

QUEBRA COCO, QUEBRADEIRA

Ô QUEBRA COCO COM ORGULHO DE QUEBRAR

OKÊ ARÔ, É ODÉ LÁ NA PALMEIRA

MUTALAMBÔ, OXÓSSI A TE GUIAR

 

Babaçu

É sangue na veia da catadeira

Que jamais arreda o pé

Resistência, fruto farto do lugar

Patrimônio, “Rei” a preservar

Semente que vira tudo

Riqueza que a terra dá

Beleza que ganha o mundo, um lindo futuro

Madalena, filha do Maranhão

Quem é da Vila, foge da luta, não


MOÇA BONITA, SEGURA O BALAIO

HOJE TEM FESTA À LUZ DO CANDEEIRO

PÉROLA NEGRA, JOIA RARA

BATE TAMBOR NO PÉ DO BABAÇUEIRO

369 visualizações0 comentário
bottom of page